Identificar e controlar o cupim

Saiba como identificar o cupim que está atacando sua casa. Residências e construções normalmente são atacadas por três tipos de cupins, os de madeira seca, os de solo (ou subterrâneo) e os arborícolas.

As residências são geralmente atacadas por cupins pela alta oferta de locais para criação de seu ninho. Cupins de madeira abrigam-se em portas, janelas e móveis, os cupins de solo procuram locais escuros e escondidos e os arborícolas alojam-se em troncos de árvores.

O biólogo da Associação dos Controladores de Pragas Urbanas (Aprag), Sergio Bocalini, recomenda fazer o controle doméstico da praga somente em infestações iniciais pelo cupim de madeira seca. Em outras situações é imprescindível contar com o trabalho de uma empresa especializada em detectar o tipo de cupim e as melhores práticas para eliminá-lo.

Sergio ressalta que os prejuízos causados pelos cupins são relacionados apenas à ordem econômica e material, já que não transmitem doenças. "No entanto, em alguns casos podem acarretar acidentes graves quando, por exemplo, chegam a abalar a estrutura de madeiras presentes nas edificações", explica.

Algumas dicas são importantes e ajudam a identificar qual o tipo de cupim está agindo nos móveis. No caso de cupins de madeira seca, as pistas deixadas são os pequenos orifícios em madeira com pó em formato de grânulos.

Os cupins de solo ocorrem com mais frequência em madeiras que têm contato direto com pisos e paredes. "Ao contrário do que as pessoas imaginam, podem destruir outros materiais além da celulose, para desobstruir seu caminho podem destruir materiais como: plástico, borracha, metal ou concreto.

Fique atento! Algumas medidas preventivas podem contribuir para o controle dos cupins:

1. Manter portas e janelas fechadas durante as revoadas dos cupins na fase reprodutiva (siriris/aleluias), que acontecem de setembro a dezembro;

2. Uso de madeiras tratadas nas construções e montagem de móveis;

3. Uso de madeiras naturalmente mais resistentes;

4. Proteção da superfície exterior das madeiras com cupinicidas específicos;

5. Tapar frestas e ranhuras nas quais os cupins possam se alojar.